A Arte da Guerra (extracto)

Sun Tzu Wu (Sun Tzu) era originário do Estado de Ch’i. A sua Arte da Guerra chamou a atenção do Ho Lu, Rei de Wu, relativamente à sua pessoa. Ho Lu disse-lhe: “Li com atenção os treze capítulos do teu livro. Posso submeter a tua teoria sobre como gerir soldados a um pequeno teste?” Sun Tzu replicou: “Com certeza.” Ho Lu perguntou: “O teste pode ser aplicado a mulheres?” A resposta foi de novo afirmativa, pelo que foram trazidas até ao palácio 180 mulheres.

Sun Tzu dividiu-as em duas companhias e colocou à frente de cada uma delas uma das concubinas preferidas do rei. Pediu-lhes então que desembainhassem as espadas e dirigiu-se a elas nestes termos: “Parto do princípio de que vocês sabem distinguir a frente da retaguarda, a mão direita da esquerda.” As raparigas retorquiram que sim. Sun Tzu continuou: “Quando disser ‘olhar em frente’, devem olhar em frente. Quando disser ‘à esquerda volver’, devem rodar para a esquerda. Quando disser ‘à direita volver’ devem rodar para a direita. Quando disser ‘meia volta volver’, devem rodar meia volta à retaguarda. As raparigas voltaram a acenar afirmativamente. Após ter explicado as ordens de comando, procedeu à distribuição das alabardas e dos machados de batalha para dar início ao exercício. Depois, ao som dos tambores, deu a ordem de ‘à direita volver’. Mas as raparigas limitaram-se a desatar às gargalhadas. Sun Tzu comentou: “Se as vozes de comando não forem claras e precisas, se as ordens não forem cabalmente percebidas, o culpado é sempre o general”.

Reiniciou o exercício, dando desta vez a ordem de ‘à esquerda volver’, tendo as raparigas desatado de novo a rir. Sun Tzu disse: “Se as vozes de comando não forem claras e precisas, se as ordens não forem cabalmente percebidas, o culpado é sempre o general. Mas se as suas ordens forem claras e, apesar disso, os soldados não obedecerem, então a culpa é dos seus oficiais”.

Dito isto, ordenou que as chefes das duas companhias fossem decapitadas.”

in “A Arte da Guerra”, de Sun Tzu, Edições Sílabo, Lisboa, 2009

A estratégia ao serviço da política, da guerra, das empresas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s